Beleza, Moda


A moda plus size tem ganhado cada vez mais espaço, democratizando o universo das tendências, e permitindo às mulheres gordinhas valorizar sua silhueta e realçar seu estilo a cada nova estação. Para a Primavera Verão 2011 2012, já apresentada em passarelas internacionais com o desfile da multimarcas OneStopPlus, a feminilidade aparece como elemento-chave.

A paleta de cores da temporada é dominada por tons que partem de neutros, como rosés e nudes para peças mais urbanas, passando pela vivacidade de nuances aquerelasdas de turquesas e azuis, à ultra feminilidade de violetas e vinhos dedicados principalmente à looks noturnos.
Fonte: Portais da Moda

A moda plus size para o inverno conta com peças sofisticadas, aparecem leves e muito confortavéis. Roupas de malha e tecidos maleavéis e práticos com cortes amplos para oferecer a mulher muito mais liberdade de movimento. Destaque para as malhas chamadas mesclas, em ponto Roma e o plush. A moda plus size conta ainda com tonalidades discretas em tons terrosos, azuis e variações de verde.
Moda Plus Size   Inverno 2011
As estampas de bichos, que por sinal está bastante em evidência dominam a maior parte das peças, presentes em blusas, cardigã e vestidos. Para valorizar o colo e a cintura, as peças estão mais acinturadas, marcando o corpo da mulher de forma elegante e bastante sensual. Além disso, poderão ser encontradas nas peças de roupas, aviamento como botões em metal, zíperes, tachas e pedrarias para enfeitar os ombros e deixar as mulheres muito mais bonitas nesse inverno.
Moda Plus Size   Inverno 2011
As estampas gráficas também ganharam destaque nesse inverno e se mesclaram com as estampas de bichos e aos tricôs. As modelagens das peças plus size também prometem agradar as mulheres mais voluptuosas, deixando-a mais bela do que já é. Destaque para o decote em “V”, listras diagonais, diferentes golas e cortes sofisticados em alfaiataria.
Na moda íntima plus size, o inverno trás muita sofisticação e sensualidade, peças em tonalidades neutras como nude, preto, cinza, marrom e delicadas como o rosé. A moda plus size conta ainda com corpetes, baby dolls, calcinhas e sutiãs com laterais mais largas, oferecendo conforto e sustentação que as mulheres merecem. Podem ser encontrados detalhes e aplicações de pedrarias, paetês, babados, laços e fitas de cetim para deixar a moda íntima ainda mais feminina e glamurosa.
Fonte:Etecetera.Net 


02/07/2011

Moda plus size

O manequim com numeração acima do convencional não é mais desculpa para ficar fora da moda

Se você acha que por não estar em dia com a balança, não pode se vestir bem, está completamente enganada. Os quilos a mais não podem e nem devem ser motivo para relaxar na produção e sair por aí vestindo qualquer coisa.
A moda voltada para mulheres que estão acima do peso andou esquecida por algum tempo no canto das lojas, é verdade. Mas hoje, isso mudou. A moda plus size, nome dado pelos norte-americanos para modelos de roupas acima do padrão convencional usado nas lojas vem ganhando força total, conquistando seu espaço e agradando as consumidoras.
moda plus size01 Moda plus size
E esqueça as batas, camisetas largas, vestidos sem graça, tudo em cores escuras para disfarçar as gordurinhas. Dá para ficar bonita e acompanhar as tendências das passarelas e vitrines com as roupas em tamanho maior.

Dicas de moda plus size

Além de apostar na moda plus size, é só aplicar alguns truques e escolher as peças certas que se adequem perfeitamente ao seu corpo.
moda plus size11 Moda plus size
Para o dia a dia, invista em looks mais básicos como um jeans com lavagem escura e sem muitos detalhes para não poluir o visual. Estampas delicadas em blusas e camisas dão um toque feminino e leve na produção. Um truque para valorizar ainda mais o colo é abusar de camisas com golas. Em dias mais friozinhos, complemente com um blazer ou um cardigã mais acinturado.
Para eventos mais formais e festas, abuse dos vestidos e saias com tecidos mais firmes como elastano, com recortes mais acinturados que modelam a silhueta e valorizam as curvas sem marcar o corpo, o drapeado afina a cintura e disfarça a barriguinha saliente e as pregas dão charme ao visual sem aumentar as proporções.
As calças e shorts de alfaiataria devem ter recortes mais retos. Um detalhe pra lá de moderno e que deixa os shorts mais modernos é a barra italiana. Para valorizar os seios e alongar o pescoço, prefira por blusas com decote em V ou canoa, sempre com tecidos leves, transparência e renda nas mangas e no colo.
moda plus size2 Moda plus size
O truque para disfarçar braços gordinhos é cobrir a parte mais grossa do braço e mostrar somente a mais fina. Use sem medo blusas de manga comprida, manga ¾ e manga mais larga estilo boca de sino. Para dias mais quentes, opte por regatas com alças mais grossas ou manga curta mais larguinha.
moda plus size3 Moda plus size
Os acessórios como cintos, pulseiras, colares, brincos, maxi anéis na mesma mão e bolsas de mão, dão um toque especial no look e fazem total diferença. Para alongar a silhueta, abuse do salto alto, de preferência meia-pata.
O comprimento ideal das saias, vestidos e bermudas para mulheres que estão acima do peso é na altura dos joelhos. Para as blusas, o comprimento deve ser na altura do quadril.

Leia mais sobre "Moda plus size" e temas relacionados:



Somo cheinhas, mas, somo sensuais.

 



Um novo mundo divertido!



Mês passado, aqui pelo site de CAPRICHO, rolou uma promoção incrível: a adidas NEO deu a chance para duas pessoas participarem de uma sessão de fotos ao lado de Bruno Anacleto e Manu Gavassi além de, é claro, ganharem um tênis lindo, confortável e cheio de estilo.
Nicoly Carvalho Ferreira e João Igor dos Santos Silva foram os dois mais criativos e, por isso, se divertiram muito e fotografaram ao lado das estrelas. O resultado você pode ver na revista CAPRICHO – que já está nas bancas de todo o país.
O dia, é claro, foi divertido. “Eu adorei fotografar. Aliás, até fiquei com vontade de fazer mais fotos depois. Foi incrível”, disse João, que se divertiu pra valer ao lado de Bruno e Manu. Durante a preparação para as fotos (você sabe, né? Tem que arrumar maquiagem, cabelo, ver se a roupa está certinha… Tudo para o resultado ficar o mais lindo possível!), os quatro deram muitas risadas enquanto faziam bolhas gigantes de sabão e se divertiam muito em uma praça.
Reparou na coleção adidas Neo? Ela é maravilhosa, cheia de estilo, com cores vibrantes que servem para todas as ocasiões. Os tênis são lindos e combinam com qualquer look. O prata que a Manu está usando, não é incrível? E a Nicoly não ficou linda no branco com listras verdes? Os dos meninos também são lindos e se destacam no visual!
Quer ter um adidas NEO também? Veja as lojas onde você pode encontrar:
Fonte: Capricho Moda 

24/06/2011

Hoje falaremos a respeito de dos ítens que mais gostamos de ter em grande quantidade: Os sapatos femininos. Um universo que somente nós mulheres conseguimos entender.


Juliana Bicudo lança coleção Vou Viajar

Designer de calçados Juliana Bicudo lança coleção Vou Viajar para o Inverno 2011
A designer de calçados Juliana Bicudo lança sua quinta coleção,
chamada Vou Viajar, para o inverno 2011. O que era um desejo
em sua última coleção agora se tornou imperativo.
E o passeio proposto por Juliana vai desde a Catedral de Brasília
até um entardecer no Arpoador. Cidadezinhas e pequenos detalhes
do Brasil, como um passeio de Tiradentes a São João Del Rei
ou um domingo de sol com vista para o Lago Paranoá entraram no roteiro.
Juliana conta história de viagens a lugares especiais através de seus sapatos,
que nesta coleção são 17 modelos ricos em detalhes como tranças,
picotes e ferragens. Democrática, a marca traz mocassins, oxfords,
sapatilhas, sandálias, botas de cano curto e médio e sapatos estruturados,
com saltos rasteiros até 8,5cm, em modelos clássicos e atemporais.
Designer de calçados Juliana Bicudo lança coleção Vou Viajar para o Inverno 2011
A cartela de cores, um pouco mais sóbria para a estação mais fria do ano,
vai do rose, passa pelo coral, ferrugem, havana e chega ao preto básico.
Os tons ouro, azul céu e tangerina transitam por toda a coleção.
Pequenas delicadezas de Juliana para a temporada.
Com apenas três anos de existência a marca se caracteriza
pelo acabamento impecável, o que confere aos pares o status de objeto
de desejo. Conforto, sofisticação, cores únicas e traços únicos
pautam sua criação. O resultado são sapatos delicados que vestem
mulheres de vários estilos: das clássicas às contemporâneas.
A loja atende pedidos de todo o Brasil.

Celebridade Paris Hilton lança linha de sapatos com sua marca

A celebridade norte-americana Paris Hilton lançou no dia 29 de março, no México, sua linha de sapatos: The Paris Hilton Shoe Collection. O lançamento ocorreu em um hotel de luxo, na Cidade do México, reunindo a imprensa.
Paris Hilton lança linha calçados femininos Domínio da Moda
Paris Hilton lança linha calçados femininos Domínio da Moda
Paris define seu interesse pela moda como “uma forma de comunicar à sociedade os gostos e interesses da mulher moderna”.
Paris Hilton lança linha sapatos femininos Domínio da Moda
Paris Hilton lança linha sapatos femininos Domínio da Moda
Os modelos de scarpins e peep toes se caracterizam pelo salto alto, cores neutras ou na tendência animal print realçam a feminilidade com muita delicadeza.

Capricornia Fashion Trends lança promoção Go Hipster!

A CAPRICORNIA Fashion Trends, um coletivo de moda no polo industrial de vestuário do Paraná, lança a campanha GO HIPSTER!, onde acessórios comprados em Helsinki e Estocolmo serão distribuidos para seguidores do site.
São produtos de lojas como H&M, Monki, Weekday, Cheap Monday e outras, trazidos da Escandinávia, um dos principais “redutos” de hipsters no mundo. Entre os presentes estão cachecóis (foto), bonés, óculos, pulseiras, meias de inverno e outros serão distribuídos
O vídeo promocional, que explica de forma divertida a história toda, já está no ar no Vimeo:
“A ideia é simples, bem-humorada e esperamos mesmo enviar presentes para todo o Brasil”, diz Sérgio Tavares, diretor do site.  Tavares, que morou por dois anos na Finlândia enquanto fazia mestrado em cultura digital, se familiarizou com esta cultura e observou que era uma tendência crescente entre jovens. “Hipsters trabalham, conhecem gastronomia, viajam, compram roupas e acessórios e fazem de tudo para parecer que foi tudo incidental. Se é possível defini-los, eles são fruto da mistura impossível entre indies e yuppies.”
“A tribo hipster é pouco numerosa no Brasil, mas cria polêmica na Internet por seus numerosos fãs e inimigos na internet e em canais de comunicação como a MTV”, complementa Camila Régis, estudante de moda do Senac/SP e editora do site.
MAIS INFORMAÇÕES:
A CAPRICORNIA ganhou popularidade quando passou a traduzir para o português as sarcásticas tirinhas novaiorquinas Hipster Hitler (ilustração), onde o fascismo e a cultura hipster são comparados e satirizados. A dupla JC e APK, os criadores que vivem e trabalham no Brooklyn, gostaram do site e autorizaram a tradução. “Adoramos o trabalho, obrigado por representarem os quadrinhos tão bem! O website é muito bonito”.
HIPSTER, definição resumida: tribo urbana que valoriza a boemia, o sarcasmo, a displicência e procura parecer “descolado sem esforço”.

Jalecos Fashion – Ecko e Prada lançam modelos diferenciados

Coloridas e estampadas, peças renovam roupas tradicionais de hospitais
Marc Ecko, fundador da marca Ecko, atua em áreas bastante variadas e construiu um verdadeiro império quando o público-alvo é composto por jovens. Ainda assim, poucos imaginariam ver seu rinoceronte estampando jalecos e roupas para hospitais.
Jalecos Fashion
No site Ecko Scrubs são apresentadas dezenas de opções para homens e mulheres, todas com cortes simples, mas algumas com novidades. Há peças acinturadas, reversíveis e estampadas, algumas com padrão que remete ao Liberty e outras mais abstratas, fugindo da tradicional monocromia.

Jalecos Fashion
A estética começa a ter cara de tendência não só para os hospitais, já que a Prada apostou neste visual em seu desfile na Semana de Moda de Milão de verão 2011/12. Antes mesmo da Ecko elaborar esta coleção completa, Diane von Furstenberg lançou alguns modelos em parceria com a Cleveland Clinic.
Jalecos Fashion

Lançamentos grife DM Loja Calçados Femininos Domínio da Moda

A grife DM é a marca própria da loja de calçados femininos Domínio da Moda. São produtos escolhidos criteriosamente dentro das tendências de moda pesquisadas por nossos consultores fashion.
Destacamos abaixo os últimos lançamentos da marca, disponíveis na loja online Domínio da Moda.
As botas abaixo, em camurça preta e marrom possuem um detalhe muito interessante – uma polaina no cano, que permite um ajuste perfeito na panturrilha independente do tamanho, o ajuste é feito por amarrações como dita a tendência militar fashion do inverno 2011, além disso ela é peep toe, o que agrega muita personalidade ao modelo. Seu salto é fachetado e tem 7,5 cm de altura, clique na imagem abaixo para conhecer essa linda bota da loja online Domínio da Moda:
Botas femininas outono inverno 2011 Domínio da Moda
As sapatilhas estilo bailarina abaixo possuem inspiração no estilo do filme “Cisne Negro”. São produzidas em material acamurçado, nas cores preta e bege rato, a pulseira (ou tornozeleira) possui aplicações de strass e correntes metálicas:
Sapatilhas Bailarina femininas Loja Domínio da Moda
A Sandal Boot DM das imagens abaixo é produzida em acamurçado, nas cores vermelha e preta e é uma opção muito fashion para quem não abre mão de sandálias abotinadas da moda inverno 2011.
Ela possui fechamento traseiro por zíper, facilitando o calce, seu salto é forrado em acamurçado e tem 10 cm de altura, compensados pela plataforma meia pata de 2,5 cm, resultando em uma inclinação real do salto de 7,5 cm. Uma excelente opção disponível na loja de calçados online Domínio da Moda.
Sandal Boot Domínio da Moda Loja Online
Agora, se você está procurando uma ankle boot ou open boot rendada ou em tela, confira esses 2 modelos abaixo, as 2 tem plataforma meia pata e saltos altos, esbanjam charme e dão o toque fashion que seu look precisa para você arrasar.
Ankle Boot Rendada Domínio da Moda Loja Online
Ankle Boot Meia Pata DM Acamurçado Preto e Tela Preta 3080828
Esses e muitos outros modelos você encontra com exclusividade na loja online de calçados femininos Domínio da Moda. Clique nas imagens, navegue e descubra a loja que está mudando os conceitos da venda de calçados femininos com atendimento, respeito, agilidade e ótimos preços. Domínio da Moda, especializada na venda online de calçados femininos, comodidade, segurança e praticidade.

Lily Allen divulga croquis de coleção

Cantora britânica, Lilly Allen sempre teve seu estilo muito ligado a inspirações vintage com doses de romantismo.
Após abrir um brechó chamado Lucy in Disguise em Londres no ano passado, juntamente com sua irmã Sarah Owen, ela expande agora essa preferência para criações próprias. Nesta semana, foram divulgados croquis da linha que será lançada em junho.
Lily Allen
A estrela pop evoca novamente Lucy, desta vez , como uma personagem fictícia que dá forma as 18 peças que compõem o mix de produtos. Em sua maioria, vestidos soltos e de aspecto leve, fiéis ao estilo da cantora, com influência das décadas de 1930 e 1940.
Lily Allen
Na modelagem, comprimentos curtos e cintura alta. Nos detalhes, destaque para os bordados e lantejoulas. Já na estamparia, os florais ditam o ritmo. A cartela de cores é diversificada, com predomínio de cores quentes e presença de preto.
 Fonte: Dominio da Moda

Sapato feminino de salto-alto.
Sapato é a peça do vestuário que tem a finalidade de proteger os pés. Nos países frios, o mocassim e as botas servem como protetores e aquecedores para os pés, ao passo que, nos países mais quentes, usa-se mais a sandália e o chinelo, protegendo o pé, mas sem o abafar.
Hoje, esta peça transcendeu sua finalidade inicial e serve como adorno e acessório de moda, tendo também uma função social.

Origem


Sapato de couro de 800 a 400 a.C. no Museu Hallstatt, na Áustria.
Muitos atribuem aos egípcios a arte de curtir couro e fabricar sapatos, porém, existem evidências de que os sapatos foram inventados muito antes, no final do Período Paleolítico.
Existem evidências que a história do sapato começa a partir de 10 mil a.C., ou seja, no final do Paleolítico, pois pinturas desta época, em cavernas na Espanha e no sul da França, fazem referência ao calçado.
Entre os utensílios de pedra dos homens das caverna existem vários que serviam para raspar as peles, o que indica que a arte de curtir é muito antiga. Nos hipogeus egípcios, que eram câmaras subterrâneas usadas para enterros, e que têm idade entre seis e sete mil anos, foram descobertas pinturas que representavam os diversos estados do preparo do couro e dos calçados.

Reprodução de um sapato alemão de couro do século II.
No Antigo Egito, as sandálias dos egípcios eram feitas de palha, papiro ou de fibra de palmeira e era comum as pessoas andarem descalças, carregando as sandálias e usando-as apenas quando necessário. Sabe-se que apenas os nobres da época possuíam sandálias. Mesmo um faraó como Tutancamon usava sandálias e sapatos de couro simples, apesar dos enfeites de ouro.
Na Mesopotâmia eram comuns os sapatos de couro cru, amarrados aos pés por tiras do mesmo material. Os coturnos eram símbolos de alta posição social.
Na Grécia Antiga, os gregos chegaram a lançar moda, como a de modelos diferentes para os pés direito e esquerdo.
Na Roma Antiga, o calçado indicava a classe social. Os cônsules usavam sapato branco, os senadores sapatos marrons presos por quatro fitas pretas de couro atadas a dois nós, e o calçado tradicional das legiões era a bota de cano curto que descobria os dedos.
Na Idade Média, tanto homens como mulheres usavam sapatos de couro abertos que tinham uma forma semelhante ao das sapatilhas. Os homens também usavam botas altas e baixas, atadas à frente e ao lado. O material mais corrente era a pele de vaca, mas as botas de qualidade superior eram feitas de pele de cabra.

Sapatos dos índios americanos no Museu Britânico, em Londres.
A padronização da numeração é de origem inglesa. O rei Eduardo I foi quem uniformizou as medidas. A primeira referência conhecida da manufatura do calçado na Inglaterra é de 1642, quando Thomas Pendleton forneceu quatro mil pares de sapatos e 600 pares de botas para o exército. As campanhas militares desta época iniciaram uma demanda substancial por botas e sapatos.
Em meados do século XIX começaram a surgir as máquinas para auxiliar na confecção dos calçados mas, só com a máquina de costura o sapato passou a ser mais acessível.
A partir da quarta década do século XX, grandes mudanças começam a acontecer na Indústria calçadista, como a troca do couro pela borracha e pelos materiais sintéticos, principalmente nos calçados femininos e infantis.

O Sapato no Brasil

Utilizados somente como proteção dos pés, com a vinda da côrte portuguesa ao Brasil, em 1808, o comércio sofreu um incremento e os costumes europeizaram-se, passado o sapato a fazer parte da moda. Nesta época os escravos eram proibidos de usar sapatos, mas quando conseguiam a liberdade, compravam um par de calçados como símbolo da nova condição social. Como muitos não se acostumavam a usá-lo, viravam objeto de decoração ou de prestígio, carregando-os, orgulhosamente, nos ombros ou nas mãos.
Apesar de existerem várias sapatarias no Rio de Janeiro para atenderem o mercado da alta sociedade local, o calçado normalmente era importado da Europa. No final do século XIX o modelo básico do calçado era a botina fechada de camurça, de pelica ou de seda para as mulheres mais abastadas, e os chinelos para o restante da população feminina.
Nas décadas de 1910 e 1920 o modelo de sapato feminino mais usado no Brasil era o borzeguim ou a botina, evitando os pés expostos, mesmo que os vestidos já tivessem subido seu comprimento.
No pós-guerra houve uma mudança muito grande na maneira de vestir e de calçar. A mulher passou a sair às ruas, praticar esportes e cuidar do corpo, sendo o tênis inventado nessa época. Além disso, como os vestidos encurtaram, os sapatos ficaram mais à mostra, aumentando a preocupação com a estética do calçado.
Fonte: Wikipédia

História do Calçado
             Existem evidências que mostram que a história do  sapato
     começa a partir de 10.000 a. C., ou  seja,  no    final  do  período
     paleolítico (pinturas desta época em cavernas na Espanha e no
     sul da França fazem referência ao calçado).
             Entre os utensílios  de  pedra  dos  homens  das  cavernas
     existem vários que serviam para raspar as peles,  o que indica
     que a arte de curtir é muito antiga.
             Nos hipogeus (câmaras subterrâneas  usadas  para  enter-
     ros múltiplos) egípcios, que têm idade entre 6 e 7 mil anos,    fo-
     ram descobertas pinturas que representavam os  diversos    es-
     tados do preparo do couro e dos calçados.
             Nos países frios o mocassim é o  protetor  dos  pés  e  nos
     países mais quentes a sandália  ainda é a mais usada. As    san-
     dálias dos egípcios eram feitas de palha, papiro ou de fibra    de
     palmeira.

   era comum andar descalço e carregar as sandá- lias usando-as apenas quando necessário.
            Sabe-se que apenas os nobres da  época  possuíam sandálias.
    Mesmo  um  Faraó  como  Tutancamon  usava   calçados   como
    sandálias e sapatos de couro simples (apesar dos  enfeites    de
    ouro).
     

clique na foto para ampliá-la e saber um pouco mais sobre a mesma.
            Na  Mesopotâmia    eram  comuns  sapatos  de  couro   cru
     amarrados aos pés por tiras do mesmo material.  Os    coturnos
     eram símbolo de alta posição social.
            Os Gregos chegaram a lançar moda  como  a  de  modelos
     diferentes para pés direito e esquerdo.
            Em Roma o calçado indicava a classe social. Os  cônsules
     usavam sapato branco, os senadores sapatos marrons  presos
     por 4 fitas pretas de couro atadas a 2 nós e o calçado tradicio-
     nal das legiões era a bota de cano curto que descobria os    de-
     dos.
clique na foto para ampliá-la e saber um pouco mais sobre a mesma.
sandália de couro judia de
72 d. C.
clique na foto para ampliá-la.
            Na idade média tanto homens como mulheres usavam sa-
     patos de couro abertos que tinham uma forma  semelhante    à
     das sapatilhas. Os homens também usavam botas altas e bai-
     xas atadas à frente e ao lado. O material mais corrente era a
     pele de vaca, mas as botas de qualidade superior eram feitas
     de pele de cabra.
            A padronização da numeração é de origem inglesa. O  rei
     Eduardo (1272-1307) foi quem uniformizou as medidas.
            A primeira referência conhecida da manufatura do calça-
     do na Inglaterra é de 1642 quando Thomas Pendleton  forne-
     ceu 4.000 pares de sapatos e 600 pares de  botas  para    o  e-
     xército. As campanhas militares desta época  iniciaram    uma
     demanda substancial por botas e sapatos.
           Em meados do século 19 começam a surgir as  máquinas
     para auxiliar na confecção dos calçados, mas só com  a    má-
     quina de costura o sapato passou a ser mais acessível.
           A partir da quarta década do século 20 grandes  mudan-
     ças começam a acontecer nas indústrias calçadistas como a
     troca do couro pela borracha  e  pelos  materiais    sintéticos
     principalmente nos calçados femininos e infantis.
          Provavelmente os funcionários de Pendleton fizeram  os
     sapatos do início ao fim mas na  moderna  indústria    o  pro-
     cesso é quebrado em várias e distintas etapas como :
         . modelagem : criação,    elaboração  e  acompanhamento
     dos modelos no processo de fabricação;
         . almoxarifado: recebimento, armazenamento, classifica-
     ção e controle do couro e demais materiais;
         . corte: operação de corte das diferentes peças que com-
     põem  o  cabedal (parte superior do calçado). No  corte são
     utilizadas lâminas e facas especiais e/ou superior do calça-
     do).
     No corte são utilizadas lâminas e facas especiais  e/ou    ba-
     lancins de corte que pressionam  os  moldes    metálicos  na
     superfície do couro e/ou outros materiais;
         . chanfração: preparação do couro para  receber  a  cos-
     tura;
         . costura: junção  das    partes que compõem  o  cabedal.
     Em muitas empresas esse  setor  encontra-se    subdividido
     em preparação, chanfração e costura;
         . pré-fabricado:  fabricação de solas, saltos e palmilhas.
     Muitas empresas  não têm esse setor, pois existem fábri-
     cas que se especializam na produção desses materiais;
         . distribuição: controla o volume da produção,  revisa  a
     qualidade  dos  materiais e  os distribui para os setores de
     montagem e acabamento;
         . montagem: conjunto  de operações que unem  o  cabe-
     dal ao solado;
         . acabamento: operações  finais    ligadas à   apresenta-
     ção do calçado como escovamento, pintura e limpeza;
         . montagem  e acabamento: em muitas empresas esses
     dois setores são organizados em linha de montagem,  isto
     é, os postos de trabalho  são colocados em  linha e o    pro-
     duto em elaboração vai  incorporando as  operações    par-
     ciais de cada trabalhador, até  que,  no  final    da  linha,  o
     produto resulta acabado;
         . expedição: embalagem,    encaixotamento  e  envio  ao
     mercado de destino.

         Na Página Museus do sapato podem  ser   encontradas
     fotos raras e outros aspectos da história.

         Em breve a História do calçado  no novo mundo. A his-
     tória no Brasil incluirá uma descrição sobre o uso de cal-
     çados  no Rio de Janeiro  em 1816 e  uma     descrição  de
     uma fábrica de calçados e um curtume em 1918.


 A história do sapato. Xico Gonçalves • Alguns estudos mostram que há pinturas paleolíticas em cavernas da França e Espanha indicando a ex...
Tudo sobre: Sapatos

Xico Gonçalves

• Alguns estudos mostram que há pinturas paleolíticas em cavernas da França e Espanha indicando a existência de calçados já em 10.000 a.C. Porém, há pesquisadores que afirmam que os sapatos foram inventados na Mesopotâmia, onde atualmente fica o Iraque, há mais de 3.200 anos. Eles eram feitos de couro macio para que os antigos pudessem atravessar trilhas montanhosas.

• No Egito Antigo, entre 3.100 a.C. e 32 a.C., apenas os nobres usavam sandálias de couro. Os faraós usavam calçados deste tipo adornados com ouro.
• Os gregos, que criaram os preceitos fundamentais da civilização ocidental, mostraram vanguarda não só na filosofia, na ciência e na política, mas também na moda: estudos mostram que alguns chegaram a usar um modelo diferente em cada pé.

• Durante o Império Romano, os calçados denunciavam a classe ou grupo social do indivíduo. Os senadores utilizavam sapatos em cor marrom, em modelos que amarravam na panturrilha por quatro tiras de dois nós. Para os cônsules romanos a cor indicada era o branco. Os calçados das legiões eram as botas de cano curto. Mulheres calçavam sapatos brancos, vermelhos, verdes ou amarelos.


















História dos Sapatos: Fotos do Museu do Sapato no Canadá. Foto:Divulgação


• Na Idade Média, a maioria dos sapatos tinha a forma das atuais sapatilhas. Eram feitas de couro. Nobres e cavaleiros usavam botas de melhor qualidade.

• O rei Eduardo (1272-1307), da Inglaterra, padronizou a numeração dos sapatos. No mesmo país, em 1642, há o registro da primeira produção "em massa" de sapatos em todo o mundo: Thomas Pendleton fez quatro mil pares de sapato e 600 pares de botas para o Exército.

• Durante a Revolução Industrial, no início no século XVIII, na Inglaterra, as máquinas passaram a produzir calçados em larga escala.

• No século XX, novos materiais, técnicas e tecidos entram na produção, que passa a ser setorizada entre design, modelagem, confecção, distribuição, entre outros setores. A necessidade dos atletas obterem um melhor desempenho em competições originou um novo segmento na indústria, voltado aos esportes, o que possibilitou a criação de tênis tecnológicos, que invadiram o vestuário de todos grupos sociais. Além disso, a explosão da moda entre o público médio, a partir dos anos 80, também possibilitou o aumento do número de pessoas que passaram a consumir calçados de grife, tanto os mais simples quanto aqueles assinados por grandes estilistas ¿ verdadeiros artigos de luxo.

Curiosidades sobre os calçados

• No século XIV, os sapatos ingleses ficaram tão pontudos que se tornaram um perigo, fazendo o rei Eduardo III baixar um decreto limitando os bicos a no máximo cinco centímetros de ponta. Ignorando a lei, os sapatos no país chegaram a ostentar até 50 cm de comprimento. Para andar, era preciso prendê-los à cintura com cordão de seda.

• Na França, no século XVI, os sapatos ficaram tão estreitos que para calçá-los os pés precisavam ficar mergulhos por uma hora em água gelada.

• Na China, o culto aos pés exigia o uso de sapatos de no máximo 15 cm. Para calçá-los, as mulheres tinham os pés praticamente amassados, enfaixados em um cilindro para não crescerem.

• Em Veneza, por volta de 1600, as plataformas ficaram tão altas que quem usasse precisava de criados para se movimentar.

Tipos de saltos

Sabrina
• Popularizados no início dos anos 60 nos pés de Audrey Hepburn no filme Sabrina, acabou associado a refinamento. Não deve passar dos cinco centímetros de altura, deve ser fino e ter o cabedal delicado.
• Altura perfeita para calças de todas as alturas (inclusive as curtas e shorts), vestidos, saias curtas, Chanel e midi.

Princesa
• Salto elegante e levemente mais grosso (de quatro até sete centímetros), confortável e adequado para o trabalho.
• Veste bem com comprimento Chanel, midi e calças convencionais.

Estaca, Anabela ou plataforma baixa
• Saltos sólidos e não muito altos e que possibilitam muito conforto.
• Ideais para o trabalho, calças convencionais e vestidos ou saias mais longas.

Stiletto ou agulha
• É o mais fino e sexy de todos os saltos, pode ter alturas de até nove centímetros. É mesmo prejudicial à saúde dos pés, mas está sempre na moda.
• Permitido para calças longas, curtas e shorts, micros e mini comprimentos e também Chanel e midi, dia e noite.
• Use em momentos em que não pretenda permanecer muito tempo em pé.
• O estilista de calçados Manolo Blahnik é considerado o rei do salto estileto.

Salto alto grosso, Anabela ou plataforma alta
• Estes formatos de salto criam melhor equilíbrio para o corpo e podem ser usados em festas (cobertos) ou esportivos com calças e saias midi e longa.

Sensível
• O salto alto tradicional com formato robusto e altura que não ultrapassa os cinco centímetros.
• Coordena bem com calças, tailleurs e saias em comprimentos tradicionais. Ideal no trabalho e passeio, pois cansa menos.

Louis XV ou carretel
• Popularizados pelos monarcas da França, este salto não ultrapassa os quatro centímetros e a forma lembra um carretel.
• Com altos e baixos na moda, encaixa bem com sapatos estilos masculinos ou mules.
• A altura é ideal para calças, vestidos e saias longas, mini e shorts.

Surgimento dos saltos

Marilyn Monroe, conhecida por se equilibrar em saltos altíssimos, sempre declarou que as mulheres deveriam agradecer a quem inventou os saltos altos. Mas essa idolatria pelos "high heels" não nasceu nos anos 50. A procura por saltos perfeitos tem atravessado séculos.
O formato estileto ou agulha, preferido da estrela e um dos responsáveis pelo seu sucesso como símbolo sensual, é um desenho novo se lembrarmos que os mais antigos saltos, descobertos em tombas egípcias, datam de 1.000 a.C.
A associação com o sensual talvez venha do fato das cortesãs japonesas que usavam tamancos com quase trinta centímetros de altura.
Os historiadores também acreditam que as prostitutas na Roma antiga se distinguiam das outras mulheres calçando saltos altíssimos.
No teatro grego, serviam para mostrar a graduação social dos personagens. Quanto mais altos, mais importante era a figura.

Importados de Paris

A invenção do salto alto próximo ao que se conhece hoje é atribuída a Catarina de Médici. Filha de uma distinta família italiana de Florença, ela foi a Paris para se casar com o futuro Henry II da França. Por ser pequena, carregou na bagagem vários sapatos feitos por um artesão italiano com saltos que a deixava mais alta.
A novidade virou moda na aristocracia francesa fazendo homens e mulheres subirem literalmente no salto durante os séculos XVII e XVIII como uma marca de privilégio social. Só os ricos e bem nascidos podiam usá-los.
Em 1800, os saltos descobriram a América, o cenário ideal para crescerem ainda mais. E o show começou nas casas suspeitas de New Orleans, que importavam garotas francesas que usavam saltos altos. O sucesso delas com os clientes foi tão grande que em 1890 a primeira fábrica de saltos de sapatos se estabeleceu em Massachusetts.
Em 1955, o desenhista de sapatos francês Roger Vivier criou para o costureiro francês Christian Dior o salto agulha, tão fino que exigia uma estrutura de ferro para não quebrar.
Desde então, para os desespero dos ortopedistas, os saltos não pararam de aumentar na importância e nos centímetros, evoluindo para muitas outras opções de design.

Os saltos do inverno 2005

• Salto rasteiro: acompanham shorts, macaquinho, calças e saias de todos os comprimentos.
• Salto grosso: combina com calças, saias longas e curtas.
• Salto agulha: compõe bem com jeans, macacões, tailleurs, saias, vestidos, calças de noite estreitas ou pantalonas e roupas alinhadas.
• Salto Anabela: cai bem com saias longas e curtas, calças e vestidos. Em modelagem mais sofisticada também acompanha tailleurs e roupas mais finas.
• Salto Sabrina: salto médio e levemente carretel. O nome vem do filme Sabrina, com Audrey Hepburn. Elegante com saias e vestidos abaixo do joelho e calças mais curtas.
• Plataforma Anabela: com solado reto ou curvo pode ser usada com todos os tipos de roupa e comprimentos.
• Plataforma Meia-pata: com meia plataforma na frente e salto grosso separados, combinam com vestidos, saias e calças.

Bicos de sapatos

A novidade é os bicos amendoados, no formato dos anos 1930 e 1940. Os bicos finos permanecem e decotes no bico aparecem como a grande novidade.

Cuidados na manutenção

Sapatos podem ser reciclados. Com capricho e uma boa tinta de calçados é possível ganhar sapatos novos com pouco investimento.
• Limpe o calçado com uma esponja seca grossa para retirar sujeiras, pó, resquícios de gordura e forçando uma porosidade na tinta antiga para a fixação da nova.
• Passe a tinta com cuidado, tentando cobrir o couro com uma fina camada sem escorrer. Deixe secar e retoque onde for preciso. Evite acumular tinta. Deixam o couro grosso e podem quebrar com facilidade.
• Passe graxa na cor nova e lustre bem.
• Para conseguir extra brilho nos calçados e bolsas, depois de engraxá-los e escová-los, aplique uma nova camada de graxa com um pano ligeiramente úmido, esfregando com movimentos rotativos. Após, dê brilho com uma meia de nylon ou pano de seda. O sapato fica novo para mais uma estação.
• Para eliminar o mau cheiro dos calçados, use regularmente desodorante para calçados ou pó anti-séptico nos pés.
• Para tirar qualquer tipo de manchas em calçados ou bolsas de camurça, esfregue o local da mancha com miolo de pão.
• Para tirar manchas de gordura: passe uma solução de quatro colheres de álcool retificado e uma colher de sal de cozinha. O que sobrar guarde em vidro bem tampado para usar quando necessário.
• Com o serviço de bons sapateiros, um calçado antigo pode receber, além de novas cores, plataformas atuais ou saltos mais modernos.

Conservando os sapatos com dicas caseiras

• Sempre novos: engraxe-os regularmente. Guarde-os bem secos e entre tiras de mata-borrão, para evitar o mofo.
• Solado: aplique óleo de linhaça antes de usar seus sapatos pela primeira vez. O solado fica mais resistente.
• Botas: guarde-as com o cano cheio de jornal amassado.
• Chuva: aplique camadas de impermeabilizante sobre o couro para que a água não penetre.
• Saches: os de cânfora ajudam a conservar as cores de seus sapatos e bolsas. • Couro duro: faça uma mistura de uma colher de bicarbonato de sódio, 100 gramas de água e uma colher de sal de cozinha. Aplique no avesso para amaciar o couro.
• Cobra: a estampa de cobra ou crocodilo fica nova ao passar uma mistura em partes iguais de glicerina e óleo de rícino.
• Lustra móvel: uma fina camada do produto deixa seus sapatos de pelica sempre novos.
• Vaselina: remove mancha de mofo do couro. Aplique e deixe de um dia para o outro.
• Gordura: ponha talco no local. No dia seguinte, escove com uma escova bem firme.
• Solado de cordas: limpe-o com terebintina.
• Casca de laranja: limpa o couro, recuperando o brilho.
• Couro colorido: limpe-o com clara de ovo batida em neve.
• Brilho: uma camada de benzina entre as engraxadas dá mais brilho no lustro.
• Sapatos e bolsas claras: passe casca de batata ou leite para retirar as manchas.
• Sapatos de tecidos: limpe-os com álcool, benzina ou querosene.

Calçados molhados

Se a chuva encharcou o seu sapato de surpresa, alguns cuidados devem ser tomados para que o investimento não vá água abaixo.
• Não tente secar no fogo, sol ou calor. Pode deformar o calçado para sempre.
• Encha de jornais amassados para absorver o excesso de umidade e impedir que se deformem, secando na sombra.
• Se o sapato ficou rígido e áspero, esfregue um pano umedecido em óleo de parafina. Se o couro ficou duro, passe uma fina camada de vaselina.
• Se ficarem manchados pela água, espere que seque e esfregue vigorosamente um pano de lã. Depois aplicar graxa incolor e lustrar.
• Camurças não devem ser esfregadas enquanto molhadas. Deixe secar e só então escove ou esfregue lixa fininha.
Fonte: M Portais da Moda 

Sapatinhos

Como diz a bela frase : " Sapatos, sapatos, nunca importa o quanto, sempre falta mais um " , toda mulher da muito valor aos sapatos rsrsrs'













Acho q dpois de ver essas belezuras, nao presizo dizer mais nada .

Calçados Verão 2010 / 2011  – Com certeza a estação mais esperada do ano, e não poderia ser diferente é a chamada estação mais leve onde realmente as pessoas se soltam totalmente em termos roupas mais leve e calçados quanto mais leve e suave melhor par curtir esta estação, muita coisa já fora lançada par este verão e muito ainda estando por acontecer.

Veja também – Luz da Lua – Tendencias Primavera Verao

Muitos modelitos esta sendo cogitado para a estação fala-se muito em sandálias rasterinha e tamancos médio aberto baixo e bem trabalhado todos em cores bem tranqüila, nada para chamar tanto a atenção, ou seja espera-se uma moda verão 2010/2011 bem tranqüila, expectativa de especialistas no assunto.
Vejamos abaixo alguns modelitos 2010/2011





Açaí é segredo de batom antioxidante

O Vitamin C Lip Smoothie Antioxidant Lip Colour, novidade da Clinique, contém ingredientes que prometem manter a saúde e a beleza dos lábios

Foto: Divulgação

Cada batom custa, em média, R$ 99 (Foto: Divulgação)
Os fãs de maquiagem vão adorar o novo lançamento da Clinique. Acaba de chegar aqui no Brasil o Vitamin C Lip Smoothie Antioxidant Lip Colour, um batom que, além de dar um toque especial ao make, é rico em ingredientes antioxidantes, como a vitamina C.

Quando aplicado de forma contínua, o produto promete hidratar e reduzir a aparência de linhas nos lábios, causada pelo envelhecimento da pele. O segredo do batom está no uso da semente de açaí como matéria-prima (a fruta é uma importante fonte de antioxidantes). A fórmula também possui manteiga de karité e de cupuaçu em sua composição.
Fonte: Criativa


19/06/2011

Falaremos agora de Maquiagem, como devemos nos marquiar.

Uma coisa básica sobre maquiagem:
Uma boa maquiagem começa com correções.No Brasil, são raros os casos de pessoas com pele impecável, sem manchas ou qualquer tipo de imperfeição.Geralmente depois de determinada idade, mais do que nunca devemos nos preocupar com esse aspecto. O rosto diz muito da pessoa, a pele determina a idade através de marcas de expressão e assim por diante.Sou categórica e defensora do uso de bons produtos de tratamento para pele e o uso diário de maquiagem, exceto em situações de práticas de esportes como natação entre outros.
A diferença de usar maquiagem correta e não, é muito grande.Devemos ter um senso de humildade em reconhecer que como ninguém é perfeito, e que hoje a aparência diz muita coisa, vamos trabalhar a nosso favor.
Não existem desculpas de que a pessoa é "desligada" ou etc.....quando se trata de aprimoramento não podemos só evoluir intelectualmente e financeiramente, mas também acompanhar e melhorar visualmente.
Esse vídeo é interessante na medida em que demonstra a diferença do antes e depois.Isso porque a pessoa a qual ele maquia tem uma pele que considero pelo vídeo como boa.
A base de uma maquiagem é importantíssima, esse ponto enfocado de realizar uma maquiagem corretiva é fundamental para o bom resultado do trabalho final - maquiagem completa.
Atualmente é muito raro, ver pessoas com peles impecáveis.Parabéns, você era uma felizarda.
Acompanhando o crescimento em faturamento desse segmento em números é impressionante,o que se conclui que, as mulheres investem muito
em produtos de beleza e tratamentos.E os cosmésticos estão entre os mais bem cotados.
A maquiagem correta colabora muito na mudança da aparência de uma mulher, corrigindo erros, ressaltando pontos fortes no rosto, deixando-a mais bonita, não é por acaso que uma grande e conhecida empresa nacional de cosméticos realizou um investimento maciço no setor de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos
com uma tecnologia avançada, de última geração.
Mas então porque vemos tantas pessoas de "cara lavada"? A resposta é que muitas delas, só se utilizam desse recurso para ocasiões consideradas por tais, especiais.Um grande erro.E outras fazem uso errado dos cosméticos, em produções equivocadas.
Sou a favor de usar maquiagem diariamente pois vivo de observação, pesquisa, estudo e constatações visuais concretas de seus benefícios.
O certo é : usar a maquiagem adequada, no seu dia a dia, onde o segredo está em uma maquiagem suave,mas de resultados.Esse é o desafio de estar sempre bem.
Devemos entender que, nem sempre o que achamos sobre nossas aparências é o que outras acham, quem está de fora vê melhor e com clareza, principalmente especialistas em moda, profissionais gabaritados no setor de cosmética entre outros.E nada como aprender com esses e acrescentar ao nosso repertório.É o que sempre costumo fazer e tentar repassar para outros.
O mundo real não é feito de super models, celebridades ou pessoas perfeitas e por isso mesmo que a cosmética, entre outros recursos e serviços estão a nosso favor.Mulheres que tem um elevado grau de auto-estima se cuidam e vão atrás de aprimoramento constante.
Fonte: VIA6

Maquiagem de Inverno
A cada ano as tendências de moda e beleza para o inverno nos surpreendem. Desta vez, os tons clássicos permanecem, mas agora combinados com cores mais alegres, transformando o que era totalmente básico em um clean estilizado. Claro que tudo é dosado e bem pensado para ficar harmonioso, embora às vezes a moda ou as tendências não tenham muita lógica. E na maquiagem o ritmo é o mesmo. Maquiadores profissionais mostram seu estilo e as novidades de cada estação em grandes desfiles de moda; união perfeita, já que o mercado passa a ter uma idéia completa do visual de cada estação.
E para esse inverno o que as empresas nos reservam? Segundo a maquiadora da Catharine Hill, Simone Tinelli, a grande novidade será o uso de cores opacas tanto nos olhos como nos lábios. Neste momento, segundo a profissional, os lábios pedem contorno feito com lápis labial e batom vermelho, que volta com força total, do alaranjado até o vermelho-carmim, sem deixar de lado os tons de violeta. “Isso vai garantir um lábio bem sexy”, afirma Simone.
Os olhos serão marcados pelo rosa, roxo, cinza, azul, amarelo e preto, tudo muito esfumado, sem esquecer do delineador que voltou com força total, podendo ser preto ou marrom, com ou sem brilho. “Mas tudo deve estar dentro de um conceito maior, o conceito nude, que é estar maquiada parecendo que não está”, explica Simone.
O nude exige uma pele bem-feita, que não tenha sido carregada na base ou no paint stick, por isso o segredo está em escolher a cor certa e uniformizar a pele, o que garante 50% do sucesso da da maquiagem.

Certos Cuidados
Hoje a tecnologia dos produtos permite ousar com toda a gama de cores e texturas sem deixar um aspecto pesado e cafona. Mas algumas dicas são valiosas para impedir que se peque pelo excesso. Neste caso a maquiadora lembra que as tendências devem ser usadas com cautela, pois certos exageros irão comprometer o look que deveria ser um sucesso. “É interessante as pessoas estarem antenadas com a moda, porque ela sempre vai e volta com novas releituras, porém há casos em que não podemos segui-la tão à risca”, esclarece.
Por exemplo, deve-se tomar o maior cuidado com o tom de batom que se vai usar. Uma pessoa de pele negra pode ter os lábios “aumentados” ao usar um batom vermelho de tom muito aberto. O ideal é adotar os vermelhos fechados ou o vinho. As loiras também devem tomar cuidado com o vermelho, pois o exagero pode levar à vulgaridade.
Enquanto a tendência dita como devemos nos maquiar para qualquer ocasião, alguns conselhos nunca saem de moda: não exagerar, ter bom senso e contar sempre com produtos de primeira linha.
Agora que você já sabe o que o outono-inverno reserva, olhe-se no espelho e mãos à obra.
Fonte: Guia de Saúde